Loading

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Eu, Hunter

200907190550468921b

O escritor Isaac Asimov, em seu livro I, Robot, elaborou três leis que regeriam o comportamento de um robô. São elas:

  • 1ª lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por omissão, permitir que um ser humano sofra algum mal.
  • 2ª lei: Um robô deve obedecer as ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens contrariem a Primeira Lei.
  • 3ª lei: Um robô deve proteger sua própria existência desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e Segunda Leis.

Essas leis tinham como objetivo tornar possível a existência de robôs inteligentes que não se revoltassem contra o domínio humano. Foi com essa premissa, apesar de não mencionar Asimov, que Brian Wood  escreveu um post que eu considerei genial e reflete a postura de um Hunter e como muitos ganharam o apelido de Hantard.

Vou fazer uma tradução livre desse post, colocando uma série de coisas que são relevantes, mas manterei a sua essência.

Já escutamos diversas vezes o termo Hantard. Termo este que denigre nossa classe, os Hunters. Esse tipo de jogador é displicente, acredita que é obrigação do tank manter o aggro e que seu pet não atrapalha em nada. Atitudes que, ao longo do tempo, tornaram a classe mal vista.

Brian Wood com certeza baseou-se em Asimov quando escreveu as três regras de um bom Hunter.

  1. Um Hunter não deve puxar o aggro, ou por omissão, deixar que ele ocorra.
  2. Um Hunter deve seguir as indicações do tank, a não ser que essa lei entre em conflito com a primeira lei.
  3. Um Hunter deve proteger sua existência, a não ser que essa lei entre em conflito com a primeiro ou a segunda lei.

Apesar da brincadeira com Asimov, essas três regras são sérias e tem profunda relação com a mecânica de jogo do hunter. Ou seja, envolve Feign Death, Misdirection e seu pet. Entenda uma coisa:

“Ser DPSer é muito mais que fazer dano, é manter o controle da luta”

Você tem nas mãos muito mais que uma simples função de bater. Você tem parte do controle do aggro, um pet que pode servir de off-tank nas horas em que o healer aggra um mob, enfim, um suporte indispensável. Mas para isso, é importante que o Hunter saiba como tudo isso funciona.

Threat e Aggro

200905110640129776Não basta saber quando você aggrou e sim como e porque. Hunters possuem uma poderosa ferramenta de controle de seu aggro, Feign Death, mas o uso errado dela muitas vezes causa o wipe em raids 5-man e o Huntard nem sabe o que ocorreu. Para piorar, culpa o tank por sua incapacidade de manter o aggro.

“Shot, shot, shot e aggro! – sem problema, mando meu Feign Death e pronto – Pronto mesmo, o Healer foi pro saco.”

Primeiro, alguns pingos no is.

  • Aggro: é o char que o mob está atacando. O primeiro a bater recebe o aggro.
  • Aggro List: o mob possui uma lista interna de todos que estão em combate com ele, contendo seu valor de threat.
  • Threat: é uma medida de combate que determina que possui o aggro. Dano causam threat na relação de 1 para 1 e e heal de 1/2 para 1 threat.

Apesar dos DPSer fazerem mais dano que o tank, eles possuem habilidades que  multiplicam seu threat, possibilitando manter seu aggro. A Blizz foi sabia ao inserir um percentual de “furto” ao aggro, ou seja, apesar de você possuir mais threat que o tank não significa que você tomará o aggro dele. Esse percentual é dividido em dois:

  • Melees precisam superar o threat em 10%.
  • Ranges precisam superar o threat em 30%.

Essa margem de segurança permite que DPSer e Healers façam sua parte de forma mais eficiente.

Feign Death

Apesar de poderoso, usado de forma errada, pode resultar em wipe. Brian brinca com a idéia de que para se usar Feign Death o hunter precisaria fazer um teste e conseguir uma licença primeiro.

“Feign Death é uma ferramenta para baixar o threat, e não para remover o aggro.”

Esse é o maior erro do Huntard, ele usa Feign Death quando já aggrou e muitas vezes causa wipe. Vou mostrar porque. Vamos imaginar um raid 5-man em que o threat esteja da seguinte forma:

  • Tank: 1.000.000
  • Hunter DPSer: 1.289.000
  • Mage DPSer: 1.180.000
  • Main Healer: 1.022.000
  • Warrior DPSer: 970.000

Apesar de próximos de aggrar, todos os DPSer estão abaixo da margem de 30%, incluindo o Healer, e o Warrior abaixo do tank. De repente, você ultrapassa e aggra o boss. Ai que vem o problema, no momento que você ativar o Feign Death, o mob atacará o char de maior Threat, no caso o Mage que não será páreo para o mob e depois de morto, será a vez do Healer que deve estar curando tudo e mais um pouco para tentar salvar a vida do mage e aumentando ainda mais seu threat. WIPE!

Muitas vezes não dá tempo do tank reagir, ou o Taunt é resistido, ou está no cooldown. Então não use Feign Death, mas como proceder:

  • NÃO CORRA!: ou você vai kite o Tank; é instintivo virar e correr com aquele boss de 30 toneladas corre em sua direção.
  • Pare de atacar: não é uma boa idéia manter seu threat alto; você já estava com 30% mais threat que o tank e ele terá que te superar em 10% para recuperar o aggro.
  • Utilize Deterrence: são cinco segundos que salvarão sua vida.
  • Vá até o Tank: ajude-o a recuperar o aggro que você roubou; por pior que seja o tank, seu AoE fará o serviço.
  • Se não houver jeito, morra: é melhor morrer do que ser o responsável pelo wipe e sim, você é o culpado, não o tank.

O Tank é o cara

Não tem jeito, quem manda é o tank. Ele sabe o ritmo que deve imprimir na raid, wow_majestic_photo_01_dp quem deve ser derrubando e quando. Então, se tem um mob com uma caveira em cima dele, é ele o seu alvo. Se ele diz para você esperar 5 segundos, espere. Ele conhece seus cooldown e seu limite.

“Faça a sua parte e deixe que o Tank faça a dele”

Com os pugs do “Dungeon Finder” ficou mais comum encontrar Tank e Healers com gear e perícias muito inferiores ao seu DPS. Tenho 5800 de gear score (para quem gosta disso) e é comum pugar com tank de 4200; bons tanks. Mas se eu sentar o dedo eu roubo o aggro em segundos. Em mobs eu não ligo, assumo a bronca e derrubo, mas no boss não dá para ser assim. Para evitar o erro, adquiri o costume de controlar o threat também nos mobs.

Misdirection

Outra arma de controle do Hunter é o Misdirection. Ele ajuda o tank a receber mais threat do mob. Existe muitas formas de utilizá-lo. Você pode utilizá-lo em média a cada 30 segundos. Seu uso inclui:

  • Ajundar o Tank a mantero o aggro desde o inicio.
  • Devolver ao tank um mob que você aggrou.
  • Devolver ao tank um mob que o Healer aggrou.

Essa é a chance que o Hunter tem de evitar um wipe por conta de um healer distraído com seu threat. Nunca acelere o pull usando Misdirection em mobs que o tank não puxou ainda.

Controle seu Pet

Umas das reclamações mais frequentes é de que os hunters não comtrolam seus pets. Infelizmente isso é verdade. Mesmo tomando um certo cuidado, ele as vezes te causa um problema. Porém, algumas dicas tornam seu controle muito mais fácil.

  • Seu pet não é tank: apesar de ser possível, se existe um tank no grupo, utilize um pet DPS e desligue habilidades que geram threat, como Growl.
  • Agressivo jamais: não queremos quebrar a segunda lei, quem decide quem será o mob da vez é o tank.

Eu deixo meu pet em Defensivo e utilizo uma macro simples alternando entre passivo e defensivo, com isso retiro meu pet de situações complicadas e posso movê-lo para outro mob, como socorrer algum healer.

Também possuo uma macro onde eu coloca a Marca e ligo e desligo habilidades do pet conforme eu esteja em grupo ou não, como Growl.

Recount

Eu já presenciei inumeras discussões por causa desse addon. Pessoas que se sentiram inferiorizadas, brigas entre hunters com trocas de acusações, etc. Entre amigos, é comum postar o DPS e chamar seu colega de cone. Em pugs ou com estranhos, não há necessidade alguma de fazer isso, mesmo que alguém queira ver.

O Recount é uma poderosa ferramenta de análise e server para você aprimorar suas habilidades, comparando dados entre dois ou mais Hunters. Você não precisa se vangloriar por ser top dps ou damage meter. Bons Hunters, muitas vezes, estão ocupados salvando o grupo de um possível wipe doque sentando o dedo para ficar no topo.

Conclusão

Ser Hunter não é uma tarefa difícil e com um pouco de atenção você pode ser de grande valia para seu grupo. Se você escolheu essa classe, faça um esforço para que ela não seja lembrada como Huntard. Essa é uma fama que pegou e só o tempo apagará.

“Nós somos Hunters. Nós temos mais habilidade de salvar o grupo de players ruins do que outras classes, mas também temos um grande potencial de sermos maus jogadores. Assuma suas responsabilidades.”

4 comentários:

Paladino do Cerrado disse...

Adorei!
Isso vale para os rogues!
Paladinos e por ai vai... HUAHUAHUAHAUH

Henry Aguiar Ribeiro disse...

o kra vc nun quer pega uma cdkey do classico pra mim eu só tenho jogado em private nun tenho dindin pra compra a cdkey nun q paga pra eu pra eu me livro dos private

Beto disse...

Sorry, só faço isso para brasileiros... :)

Henry Aguiar Ribeiro disse...

mas eu sou brasileiro moro no RS

Postar um comentário